sábado, 29 de janeiro de 2011

UM REMANESCENTE DO POVO DE DEUS NO BRASIL



Hudson Medeiros

“Se o Senhor dos exércitos não nos tivesse deixado um remanescente muito pequeno, teríamos sido como Sodoma e como Gomorra.”
Isaías 1:09 VSA

“E como antes disse Isaías: Se o Senhor dos Exércitos nos não deixara descendência, teríamos nos tornado como Sodoma, e teríamos sido feitos como Gomorra.”
Romanos 9: 29


         Bem que gostaríamos de encontrar uma cena mais brilhante e agradável, mas realmente, aqui no começo do livro de Isaías, no capítulo primeiro, tudo parece muito ruim, muito escuro, com relação à Judá e à Jerusalém. Da mesma forma, também gostaríamos de encontrar uma cena diferente quanto à igreja brasileira; mas vemos sombras, iniquidades, escravidão e feridas abertas que precisam de limpeza urgentemente.
         Como será o deserto em que o mundo se encontra se a igreja, a vinha divina, tem um aspecto tão sombrio como esse? Sim, nos dias de hoje, vemos um quadro sombrio sobre boa parte do povo de Deus. Infidelidade a Deus, frieza na fé, tradicionalismo, fé sem obras, líderes como Eli em sua transgressão, carisma sem caráter, etc. Vemos, entretanto, a presença de um remanescente que foi deixado pelo próprio Deus para resistir, reagir, salgar, iluminar, enfim testemunhar Seu reino e Sua glória agora.
         O profeta Isaías fala em nome de Deus, mas está desesperado para ganhar audiência com os filhos do seu povo. Ele se dirige aos céus e a terra e denuncia o pecado, buscando a atenção da criação.
“Ouvi, ó céus! e dá ouvidos, ó terra!” (Is. 1:2). Ele convoca as criaturas inanimadas para o ouvir, os que obedecem e observam as leis naturais e atentam à finalidade de sua criação. Is1:2“Vejam como este meu povo estúpido age sem sentido.” Como se dissesse: “Deixem, filhos, as luzes da vergonha diante do céu a sua escuridão e diante da fecundidade da terra, da sua esterilidade deixem falar a vocês filhos”. O profeta lembra Moisés, que começa assim em Dt. 32:1, usando as mesmas declarações a que o profeta aqui se refere, sugerindo que Moisés tenha visto a mesma situação no meio do povo e feito o mesmo apelo, conforme Dt. 31:29. Parece que este é um apelo ao céu e a terra, aos anjos e depois aos habitantes do mundo inferior e superior. Deixe que eles julguem entre Deus e Sua vinha. Como os filhos podem produzir tal exemplo de ingratidão?  Sabemos, porém, que Deus é justificado quando Ele fala e os céus e a terra proclamam a justiça Dele. Veja Mq. 2:1-2: “Ai daqueles que nas suas camas maquinam a iniquidade e planejam o mal! Quando raia o dia, põem-no por obra, pois está no poder da sua mão. E cobiçam campos, e os arrebatam, e casas, e as tomam; assim fazem violência a um homem e à sua casa, a uma pessoa e à sua herança”. E Sl. 50:6 “Os céus proclamam a justiça dele, pois Deus mesmo é Juiz”.
         O profeta os confronta pela ingratidão, apontando-a como seu pecado-base nessa ocasião, um crime da mais alta iniquidade por natureza.  O céu e a terra param para ouvir e se admirar da atitude do povo de Deus diante Dele. Deus tem dado a igreja brasileira tanto do seu favor nos últimos anos, quanto do derramar de Seu Espírito. Quantos ensinos profundos de Sua verdade! Quantos têm sido salvos da perdição eterna pela fé em Cristo! Quantas famílias transformadas, ajudadas em seu sustento, em sua saúde, em seus relacionamentos! Por que há tantos no adultério espiritual, tantos desviados e muitos apostatando da fé? Por que essa ingratidão a Deus?
         É sempre graciosa a relação de Deus com esse povo tão ranzinza, Judá e Jerusalém. Veja a prova de como era: "Eu criei e os trouxe como filhos, pois foram bem alimentados e bem ensinados" (Dt. 32:6); Is 1:2 "Tenho os engrandecido e exaltado". Podemos dizer que Ele não só os fez crescer, mas os fez um povo grande; não só os manteve, mas os preferiu honrando; não somente os formou, mas os elevou bem alto. Eles deveriam estar dizendo: Devemos a continuidade da nossa vida e conforto e todos os nossos avanços ao cuidado paternal de Deus por nós e a Sua bondade para conosco.
         Ao invés disso, vemos o comportamento mal-humorado, revoltado desse povo em relação a Deus, que era tão carinhoso com eles. Em Is 1:2 O Senhor diz: "Eles se rebelaram contra mim", ou "têm se rebelado contra Mim, eles foram desertores, traidores, contra a minha coroa e dignidade".
         Devemos observar bem as tantas instâncias da graça de Deus em nosso favor; tamanho favor e graça em nos dar uma nova natureza e em nos criar pela Sua palavra salvadora, nos provendo milagrosamente. Nossa situação se agrava muito com as partidas traiçoeiras que quebram o relacionamento com Ele e nas muitas oposições presunçosas em circunstâncias diversas em que agimos como filhos rebeldes! Por isso, pergunto a mim mesmo e a você: Por que líderes e ovelhas se associam a sociedades secretas? Por que fazem alianças com homens ímpios para obter vantagens financeiras? Por que manipulam ofertas e sacrifícios do povo, quebrando os princípios do governo de Deus? Por que tanta carnalidade diante de um Pai tão gracioso como o nosso Deus?
         Só o arrependimento com mudança de atitude nos fará retornar aos braços da nossa paternidade divina para vivermos na posse de nossa herança e destino em Cristo, em meio a uma geração perversa e rebelde, como um remanescente daqueles que foram gerados em Deus pelo poder de Sua palavra criadora. Se posicione como remanescente fiel. Não se conforme com o seu pecado nem passe a mão sobre ele. Manifeste seu arrependimento e deixe claro sua discordância e repulsa contra a iniquidade, própria da atmosfera de Sodoma e Gomorra. Viva a verdade, ensine a verdade, alimente as multidões com ela, pois é Deus quem nos separa e nos santifica para Si neste tempo.
         Adore a Deus por Sua bondade, verdade e amor para conosco. Manifeste a Sua luz!

Marcadores:

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial