terça-feira, 5 de abril de 2011

O PODER DIVINO QUE SE APERFEIÇOA NA FRAQUEZA HUMANA



O PODER E O HOMEM

          O Universo e tudo que veio a existir sejam as coisas visíveis e invisíveis são referências diretas da manifestação de Poder, a partir de Sua fonte e essência – Deus.

     Apocalipse 1:8
      Eu sou o Alfa e o ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.
      
    I Crônicas 29:11
      Tua é, ó Senhor, a grandeza, e o poder, e a glória, e a vitória, e a majestade, porque teu é tudo quanto há no céu e na terra; teu é, ó Senhor, o reino, e tu te exaltaste como chefe sobre todos.

     Todo o conceito que faça menção ou referência a Poder, descende do significado adquirido através da Revelação de Deus. Não existe, nunca existiu e jamais existirá um meio que permita ao homem acesso ou experiência com este fundamento sem que seja através da pessoa do próprio Deus.
      
       Isaías 40:25-29
      A quem, pois, me comparareis, para que eu lhe seja semelhante? diz o Santo.
 Levantai ao alto os vossos olhos, e vede: quem criou estas coisas? Foi aquele que faz sair o exército delas segundo o seu número; ele as chama a todas pelos seus nomes; por ser ele grande em força, e forte em poder, nenhuma faltará. Por que dizes, ó Jacó, e falas, ó Israel: O meu caminho está escondido ao Senhor, e o meu juízo passa despercebido ao meu Deus? Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos confins da terra, não se cansa nem se fatiga? E inescrutável o seu entendimento. Ele dá força ao cansado, e aumenta as forças ao que não tem nenhum vigor.

   ROMANOS  1:20
      Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis;

       

  A natureza humana desde o principio demonstra possuir afinidade com este conceito. Prova clara disto está na narrativa da queda do homem:
       
       
 Gênesis 3:1-6
        Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais.
  Disse a serpente à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal. Então, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, comeu, e deu a seu marido, e ele também comeu.

         O homem foi criado consciente e desejoso por uma afinidade pura e intensa com o Poder. Para Adão a fonte e referência deste conceito era algo bem patente – Deus.
O trabalho desenvolvido pela serpente junto a Eva foi induzi-la a acreditar na existência de uma outra fonte para este Poder. O pecado aconteceu exatamente no momento em que eles se permitiram acreditar nesta grande mentira.

O PODER REVELADO NA QUEDA
 
Quando o homem caiu dois aspectos sobressaíram sobre a história da humanidade:

1 – O homem foi literalmente, contaminado por uma mentalidade enfraquecida e alienada do referencial genuíno de Poder. O efeito do Pecado inverteu e perverteu o caminho do homem em sua relação com o Poder.

    Gênesis 3:17
        E ao homem disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei dizendo: Não comerás dela; maldita é a terra por tua causa; em fadiga comerás dela todos os dias da tua vida.

    Gênesis 6:7
      E disse o Senhor: Destruirei da face da terra o homem que criei, tanto o homem como o animal, os répteis e as aves do céu; porque me arrependo de os haver feito.

Daniel 9:8
     Ó Senhor, a nós pertence a confusão de rosto, aos nossos reis, aos nossos príncipes, e a nossos pais, porque temos pecado contra ti.

        A expectativa de receber domínio sobre o conhecimento do bem e do mal para que viesse a ser como Deus, foi substituída imediatamente por uma terrível degradação de posição e identidade e isto obrigou o homem a conhecer o Poder sob a terrível perspectiva gerada em função da Queda. A vida abundantemente testemunhada no jardim, dar lugar a uma triste realidade marcada pela dor e ausência de algo que parecia tão simples, tão comum e tão essencial, o Poder. O homem sem o Poder é apenas uma criatura que caminha em meio a escuridão do desespero e das derrotas na difícil missão de sobreviver na constante busca por significados verdadeiros e experiências reais que o aproximem do que um dia já foi.
     


Gênesis 3:22-24    
Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem se tem tornado como um de nós, conhecendo o bem e o mal. Ora, não suceda que estenda a sua mão, e tome também do jardim do Éden para lavrar a terra, de que fora tomado. E havendo lançado fora o homem, pôs ao oriente do jardim do Éden os querubins, e uma espada flamejante que se volvia por todos os lados, para guardar o caminho da árvore da vida.

     Salmos 38:3
        Não há coisa sã na minha carne, por causa da tua cólera; nem há saúde nos meus ossos, por causa do meu pecado.

    Romanos 7:13
     Logo o bom tornou-se morte para mim? De modo nenhum; mas o pecado, para que se mostrasse pecado, operou em mim a morte por meio do bem; a fim de que pelo mandamento o pecado se manifestasse excessivamente maligno.

Romanos 7:8
      Mas o pecado, tomando ocasião, pelo mandamento operou em mim toda espécie de concupiscência; porquanto onde não há lei está morto o pecado.

     A nova identidade corrompida do homem passa a caminhar entre a ilusão gerada pelo conhecimento mortal do fruto, que o induz a acreditar que ele pode ser, pode fazer ou pode possuir alguma coisa bastando confiar em sí próprio, e a realidade de se vê enfraquecido, limitado e totalmente carente de valores e de vida, sob o terrível efeito gerado pelo Pecado e suas consequências.
 
      Gênesis 10 : 9
          E este foi poderoso caçador diante da face do SENHOR; por isso se diz: Como Ninrode, poderoso caçador diante do SENHOR." 

    Romanos 3:12-18
        Todos se extraviaram; juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só. A sua garganta é um sepulcro aberto; com as suas línguas tratam enganosamente; peçonha de áspides está debaixo dos seus lábios; a sua boca está cheia de maldição e amargura. Os seus pés são ligeiros para derramar sangue. Nos seus caminhos há destruição e miséria; e não conheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante dos seus olhos.

2 – Deus em Sua infinita Misericórdia e Graça revelou o maior ato de Poder que toda a natureza criada já pode testemunhar.  A revelação trazida por Deus perante a queda do homem é a manifestação de um plano tão poderoso que ninguém, nem anjos, nem demônios e muito o mesmo o homem seria capaz de entender ou resistir. A revelação do Deus que se manifestou na condição humana e caminhou pela terra a praticar milagres e o operar maravilhas e, que como um servo, se entregou a morte por nós, foi intenso demais, forte demais, espantoso demais, enfim promovendo uma expressão de Poder que só Ele é capaz. Um poder que revolucionou a história de toda natureza criada. 



João 1:14
   E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai.

Romanos  8:3
      Porquanto o que era impossível à lei, visto que se achava fraca pela carne, Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança da carne do pecado, e por causa do pecado, na carne condenou o pecado.

I Coríntios 1:18
     Porque a palavra da cruz é deveras loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.

O CAMINHO TRILHADO PELO HOMEM EM DIREÇÃO DO PODER

       O Pecado agrediu, expos e promoveu na natureza humana uma terrível relação com o Poder. Mas certamente a pior consequência que ele gerou foi afastar o homem de Deus.    
    Isaías 59:2
  mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados esconderam o seu rosto de vós, de modo que não vos ouça.

    - Como é estar capacitado a ter conhecimento e sabedoria estar longe da única fonte de estímulo e sustento?

  Jó 12:13·
   Com Deus está a sabedoria e a força; ele tem conselho e entendimento.

    - Como é ser feito para relacionar e conviver com seus pares, em meio a harmonia e afetividade promovida dentro do ambiente familiar encontrado na casa do Pai, e de repente se ver sob o domínio da orfandade colecionando traumas, violências e degradação em cada relação vivida?
   
     Isaías 59:3-8
     Porque as vossas mãos estão contaminadas de sangue, e os vossos dedos de iniqüidade; os vossos lábios falam a mentira, a vossa língua pronuncia perversidade. Ninguém há que invoque a justiça com retidão, nem há quem pleiteie com verdade; confiam na vaidade, e falam mentiras; concebem o mal, e dão à luz a iniqüidade. Chocam ovos de basiliscos, e tecem teias de aranha; o que comer dos ovos deles, morrerá; e do ovo que for pisado sairá uma víbora. As suas teias não prestam para vestidos; nem se poderão cobrir com o que fazem; as suas obras são obras de iniqüidade, e atos de violência há nas suas mãos. Os seus pés correm para o mal, e se apressam para derramarem o sangue inocente; os seus pensamentos são pensamentos de iniqüidade; a desolação e a destruição acham-se nas suas estradas. O caminho da paz eles não o conhecem, nem há justiça nos seus passos; fizeram para si veredas tortas; todo aquele que anda por elas não tem conhecimento da paz.

         Sob o efeito de um dos mais incríveis e complexos dons, o livre arbítrio (Deus cria o homem com a capacidade de crer e decidir sobre aspectos de sua vida totalmente livre do Seu domínio e influência) juntamente com a disposição de caminhar naquilo que foi proposto pela serpente, uma imagem distorcida, descaracterizada e contrária ao propósito original é estabelecida sobre a identidade do homem criado por Deus. Os efeitos dessa nova imagem se propaga no sobre a criação nas gerações marcada por todos os efeitos da terrível maldição.

Isaías 59:8-11
      O caminho da paz eles não o conhecem, nem há justiça nos seus passos; fizeram para si veredas tortas; todo aquele que anda por elas não tem conhecimento da paz. Pelo que a justiça está longe de nós, e a retidão não nos alcança; esperamos pela luz, e eis que só há trevas; pelo resplendor, mas andamos em escuridão. Apalpamos as paredes como cegos; sim, como os que não têm olhos andamos apalpando; tropeçamos ao meio-dia como no crepúsculo, e entre os vivos somos como mortos. Todos nós bramamos como ursos, e andamos gemendo como pombas; esperamos a justiça, e ela não aparece; a salvação, e ela está longe de nós.
  
        O homem que se distanciou de Deus se viu obrigado a trilhar o seu próprio caminho em direção aos seus novos objetivos, e o Poder surge como o único meio para que estes fossem alcançados. Como o Poder não funciona sem valores que sustentem causas e efeitos, ele foi obrigado a criar o seu próprio sistema de valores.

Salmos 4:2
        Filhos dos homens, até quando convertereis a minha glória em infâmia? Até quando amareis a vaidade e buscareis a mentira?

     O sistema de valores criado pelo homem tem na Ambição, sua força motriz. È através desta força motriz que estes valores foram desenvolvidos e aperfeiçoados trazendo forma ao que chamamos Mundo.
     
      Hoje no mundo, os alvos que concentram todo o efeito da Ambição na sua relação com a busca e cobiça pelo Poder pode ser condicionado a três elementos básicos: O Dinheiro, A Fama e a Influência. Estes três elementos estão patentes em todos os âmbitos descritos pelo mundo em seus mais variados meios.
- Na Política
- Na Vida Pública
- Nas relações familiares
- Nos Negócios
- Na Indústria
- No exercício profissional; e
- Lamentavelmente, também aparece na Igreja, mas este será um tema abordado mais adiante.  

O CAMINHO APRESENTADO POR DEUS EM DIREÇÃO AO PODER

  Gênesis 3:15  
      Porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua descendência e a sua descendência; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

       Com a batalha do Éden perdida pelo homem para o diabo, Deus traz a luz um plano que descende deste antes da criação do mundo e que, a partir daquele momento, passa a vigorar. O plano de resgate e restauração do homem e a derrota definitiva de satanás e suas hostes malignas. A revelação deste plano foi algo tão tremenda que durante todo o tempo que antecedeu o seu cumprimento, houveram indagações e buscas de referências por todos aqueles que ao longo da gerações, tiveram acesso a referências sobre ele

I Pedro 1:10-11
        Desta salvação inquiririam e indagaram diligentemente os profetas que profetizaram da graça que para vós era destinada, indagando qual o tempo ou qual a ocasião que o Espírito de Cristo que estava neles indicava, ao predizer os sofrimentos que a Cristo haviam de vir, e a glória que se lhes havia de seguir.

        A certeza de que o Deus Todo-Poderoso manifestaria o Seu Poder e reverteria o quadro imposto pelo Pecado caminhava até a fronteira do entendimento de como e quando isto aconteceria. Saber que para Deus não existe impossível era fato consumado para o homem, mas conceber a realidade de testemunha-Lo como homem habitando no meio de nós, retrata um Impossível, Impossível demais para a mente humana.
   Como pode um Deus tão Poderoso, fonte e essência de todo Poder, revelar um caminho para sí próprio marcado por humilhação, derrota e morte? Como, sob a atmosfera do mais potente Poder que alguém pode conhecer, pode haver uma história tão trágica como a de um inocente sendo amaldiçoado em um madeiro? Onde está o Poder? Cadê a Glória?


 Isaías 43:1-12
      Quem deu crédito à nossa pregação? e a quem se manifestou o braço do Senhor?Pois foi crescendo como renovo perante ele, e como raiz que sai duma terra seca; não tinha formosura nem beleza; e quando olhávamos para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos. Era desprezado, e rejeitado dos homens; homem de dores, e experimentado nos sofrimentos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós. Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a boca; como um cordeiro que é levado ao matadouro, e como a ovelha que é muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a boca. Pela opressão e pelo juízo foi arrebatado; e quem dentre os da sua geração considerou que ele fora cortado da terra dos viventes, ferido por causa da transgressão do meu povo? E deram-lhe a sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte, embora nunca tivesse cometido injustiça, nem houvesse engano na sua boca. Todavia, foi da vontade do Senhor esmagá-lo, fazendo-o enfermar; quando ele se puser como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias, e a vontade do Senhor prosperará nas suas mãos. Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo justo justificará a muitos, e as iniqüidades deles levará sobre si. Pelo que lhe darei o seu quinhão com os grandes, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma até a morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e pelos transgressores intercedeu.

    Se para a natureza humana decaída o Poder parece caminhar numa única direção e num caminho que conduz a Glória e que não tem qualquer perspectiva de dor sofrimento e morte, para Deus o Poder é a principal referência da capacidade que o homem tem de sofrer, se humilhar e até morrer, contanto que se volte para a fonte que é Ele.
     O caminho de Poder apresentado por Deus nos mostra que a Glória que ele anuncia não pode ser vivenciada pelo homem se ele, o Poder, não for capaz de moldar o seu caráter, a sua personalidade, o seu estilo de vida. A linguagem que Deus desenvolve no Éden para tratar este elemento tão essencial na nossa luta contra o inimigo, de maneira que pudéssemos de fato vencê-lo, chama-se: Sacrifício. Se para o homem o alvo é a Glória, Deus esta lhe apontando o único meio de se achegar a ela, o Sacrifício.
     O Caminho do Poder de Deus aponta para a Glória, mas para que ela seja alcançada é necessário Poder, mas para este seja alcançado é necessário Sacrifício, mas para que este ocorra é necessário Fraqueza. 

II Coríntios  12:9
     E Ele me disse: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. Por isso, de boa vontade antes me gloriarei nas minhas fraquezas, a fim de que repouse sobre mim o poder de Cristo.


 Sacrifício – O Sistema criado para Fraqueza

       O Sacrifício representa o sistema inaugurado no Éden em função da queda do homem para que Deus continuasse a ter relacionamento com ele e assim pudesse também promover a execução de todo plano de Redenção. A ativação deste sistema configura o ponto de partida, a referência e o alvo que Deus estabeleceu perante o Caminho que Ele mesmo preparou para que o homem retorna-se a sua origem.

Gênesis 3:21
E o Senhor Deus fez túnicas de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu.

        Sem Sacrifício é impossível se achegar a Deus.

Gênesis 4:3-4
Ao cabo de dias trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura. Ora, atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta,

Jonas 2:9·
      Mas eu te oferecerei sacrifício com a voz de ação de graças; o que votei pagarei. Ao Senhor pertence a salvação.

        Esta linguagem é a base do relacionamento entre Deus e o homem e a sua prática retrata a qualidade e profundidade deste relacionamento.

Salmos 50:23
        Aquele que oferece por sacrifício ações de graças me glorifica; e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus.

  I Crônicas 21:24  
      Mas o rei Davi disse a Ornã: Não, antes quero comprá-lo pelo seu valor; pois não tomarei para o Senhor o que é teu, nem oferecerei holocausto que não me custe nada.

       Jesus Cristo é a pessoa que tipifica toda relação que podemos viver, alcançar e buscar através desta linguagem. É n´Ele que encontramos todos os subsídios para que vivenciemos todos os efeitos que ela produz na caminhada de volta casa do Pai, revelando um caminho que estreito, em muitos momentos, íngreme e numa direção totalmente contrária ao caminho apresentado pelo mundo.  



Isaías 53:10
     Todavia, foi da vontade do Senhor esmagá-lo, fazendo-o enfermar; quando ele se puser como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias, e a vontade do Senhor prosperará nas suas mãos.

Atos  8:32
    Ora, a passagem da Escritura que estava lendo era esta: Foi levado como a ovelha ao matadouro, e, como está mudo o cordeiro diante do que o tosquia, assim ele não abre a sua boca.

Hebreus 9:26     
     Doutra forma, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo; mas agora, na consumação dos séculos, uma vez por todas se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo.

         Quando Deus trouxe esta linguagem para a rotina do homem, Ele não teve por objetivo estabelecer um comportamento doutrinário para que o homem se mantivesse preso a um procedimento ritualístico, mas esta linguagem foi a grande ferramenta para que o Pai pudesse acessar o coração dos filhos. Deus nunca buscou sacrifícios, mas fez deles o grande meio para trazer a luz o coração do homem.

Hebreus 13:15
    Por ele, pois, ofereçamos sempre a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.

SALMOS 51:17
        O sacrifício aceitável a Deus é o espírito quebrantado; ao coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.

      O Sacrifício trata de uma reação que expressa rendição e reconhecimento. Só é capaz de sacrificar quem está disposto a se render e reconhecer a sua limitação em detrimento à superioridade e o domínio de para Quem se sacrifica. O ambiente descrito pelo Sacrifício é de fraqueza e morte. Os fortes, poderosos e prepotentes jamais conseguiram viver a rotina do sacrifício, pois só os fracos são capazes de acessar esta linguagem.



Gênesis 22:8
      Respondeu Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. E os dois iam caminhando juntos.

ROMANOS 8:36
      Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia todo; fomos considerados como ovelhas para o matadouro.

      A Fraqueza é a base de todo e qualquer ato que expresse o significado de Sacrifício. É no Sacrifício que A Fraqueza e o Poder se misturam sempre de forma proporcional e o resultado desta mistura é um literalmente convertido em peso de Glória.


  Efésios 5:2
     e andai em amor, como Cristo também vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave.

Romanos 12:1
    Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.

Apocalipse 5:6
      Nisto vi, entre o trono e os quatro seres viventes, no meio dos anciãos, um Cordeiro em pé, como havendo sido morto, e tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus, enviados por toda a terra.

Apocalipse  5:9
      E cantavam um cântico novo, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo e nação.

Conclusão

       Deus fez o homem para que este tivesse afinidade e relação direta com Poder. Foi esta afinidade que a serpente fez questão de trazer ênfase para que pudesse realizar o seu intento, através da terrível mentira de que o homem poderia conseguir Poder por outra fonte e não necessariamente Deus.
       Deus é a única fonte de sustento, revelação e manifestação de Poder. Seu nome e Deus Todo-Poderoso.
      O efeito da Queda perverteu e inverteu o caminho do homem na sua relação com o Poder. O mundo é um sistema gerado por este processo pervertido evidenciado na rotina do homem em sua busca pelo Poder, constituído de valores e princípios que afastam o homem de Deus ao invés de aproximá-lo.
    Deus como prova de seu infinito Amor, nos expõe seu plano de redenção para o homem, revelando uma realidade que reflete um nível de Poder que nem anjos, demônios e muito menos a humanidade é capaz de conceber. A revelação de Jesus Cristo, o Deus encarnado, vivendo no meio de nós.
      A Revelação do plano que livraria o homem do Pecado e traria de volta à Casa do Pai, apresenta um caminho marcado pelo Sacrifício, tendo a Fraqueza como a grande fonte de relação com o Poder.




Reflexão

1-    Qual tem sido o seu referencial de Poder: o Mundo ou Cristo?
2-    Quais valores tem lhe chamado mais a atenção:
a)     Valores que refletem a valorização de sua imagem perante a sociedade que te impõe a necessidade de se afirmar através de posições, salários e bens, ou
b)    Valores que apontam diretamente para o Sacrifício de Jesus, te fazendo conhecer o verdadeiro Poder que se revela na sua fraqueza.
      3- Deus nos chamou para revelar o Seu Poder. Será que estamos dispostos a assumir nossas fraquezas diante d´Ele?
     
      Faça destes dias, um tempo profético na busca da revelação deste Poder tão maravilhoso e deixe o Espírito Santo lhe conduzir a um caminho de fraqueza revelado em Cristo Jesus e, temos certeza que você verá a Glória de Deus!!!  


Obs. Este material foi retirado do Livro Igreja Viva de John Stott.
Adaptado pelo Centro Missionário O Renovo

Marcadores:

1 Comentários:

Blogger CuteBaby's disse...

Maravilhoso este estudo!!!!
DEUS usou você para a minha busca ser revelada
Obrigada
DEUS te abençoe.

10 de julho de 2013 03:46  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial